Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/10869/5067
Type: Monografia(Graduação)
Title: Análise da organização da rede materno infantil em relação à atenção ao pré-natal e parto a partir da trajetória das mulheres que pariram em Samambaia.
Authors: Silva, Cássia Ramos
Rodrigues, Daniele da Silva
Abstract: A Rede Cegonha deve ser organizada de maneira a possibilitar o provimento contínuo de ações de atenção à saúde materna e infantil para a população de determinado território, mediante a articulação dos distintos pontos de atenção à saúde, do sistema de apoio, do sistema logístico e da governança da rede de atenção à saúde em consonância com a Portaria nº 4.279/GM/MS, de 2010 (BRASIL, 2010). No DF, a atenção materno-infantil representa uma área estratégica dentro da SES-DF que exige a conformação de uma rede assistencial organizada, hierarquizada e imbuída de aspectos qualificadores que estejam em consonância com os princípios do SUS. A organização da Rede Cegonha é um instrumento potencializador e agregador de uma nova dinâmica da atenção à gestante, parturiente e recém-nascido que visa responder a um dos problemas inaceitáveis do SUS no contexto nacional e do DF. Busca-se produzir mudanças profundas no modelo obstétrico, no processo do trabalho dos profissionais e implementação de atributos das Redes de Atenção a Saúde (GDF, 2012), nas diferentes Regiões de Saúde do DF. Objetivo: Analisar a organização da rede materno- infantil em Samambaia e Recanto das Emas – DF, em relação à atenção ao pré-natal e parto a partir da trajetória das mulheres que pariram no HRSam; Identificar as facilidades e barreiras de acesso aos serviços de PN e P; Identificar a existência de elementos/práticas de vinculação das gestantes à maternidade; Avaliar a atenção ao parto na perspectiva das mulheres. Método: estudos de caso múltiplos, com abordagem qualitativa, por meio de entrevista com 15 mulheres na fase puerperal. Análise por meio da aplicação do fluxograma analisador de Merhy (1997) e Fracolli (1999). Resultados: No pré-natal as mulheres em sua maioria realizam o teste gravídico no setor privado ou em farmácias, realizam 6 ou mais consultas, a maioria não conhece a maternidade onde vai parir, não recebem o auxílio deslocamento do governo, realizam todos os exames, mas nem sempre recebem os resultados antes do parto. O deslocamento até a maternidade é precário, por meio de ônibus, vizinhos e amigos; poucas peregrinam entre as maternidades da Região de Saúde, mas em média cada mulher vai pelo menos duas vezes à maternidade até ser internada; não participam da decisão sobre o tipo de parto, recebem até 4 toques vaginais antes de parir, não tem acompanhante durante o parto. Conclusões: Neste sentido as barreiras de acesso constituem-se em desarticulação entre os pontos de atenção e a falta de aplicação das recomendações da Rede Cegonha, tais como a articulação do pré-natal com a maternidade vinculada. As facilidades de acesso encontradas no estudo relacionam-se a ampla oferta de pré-natal na atenção primária.
Keywords: Enfermagem
Saúde da mulher
Atenção à Saúde
Gravidez
Parto
Sistema Único de Saúde
Citation: SILVA, Cássia Ramos e RODRIGUES, Daniele da Silva. Análise da organização da rede materno infantil em relação à atenção ao pré-natal e parto a partir da trajetória das mulheres que pariram em Samambaia. 2013. 59 f. Monografia (Enfermagem). Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2013.
Access Type: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/10869/5067
Document date: 2013
Appears in Collections:Enfermagem (Graduação)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Cássia Ramos Silva e Daniele da Silva Rodrigues.pdfMonografia(Graduação)1.8 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons