Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/123456789/13381
Type: Monografia(Graduação)
Title: Efeitos subjetivos da institucionalização em adolescentes em medida socioeducativa de internação
Author(s): Arruda, Caroline Rochelle Queiroz de
First Advisor: Cunha, Gleicimar Gonçalves
Summary: O senso de si é uma co-construção, o self é uma síntese entre o subjetivo e o social. Assim, a compreensão do processo de institucionalização e de como se dão as relações instituídas dentro da unidade, pode contribuir para uma análise de quais são os efeitos da vivência socioeducativa no eu civil do socioeducando. O objetivo deste trabalho foi conhecer os efeitos subjetivos da internação no desenvolvimento do self do adolescente em medida socioeducativa com restrição de liberdade, com base na percepção dos próprios internos. O estudo foi realizado a partir de uma intervenção grupal realizada no âmbito do Estágio Supervisionado em Psicologia do Curso de Psicologia da Universidade Católica de Brasília, o qual ocorreu em uma Unidade de Internação do Sistema Socioeducativo de Brasília. Tomou-se como material de análise os registros cursivos da participação oral dos adolescentes durante os encontros, as crônicas redigidas a partir desses registros e os registros, no diário de campo, das observações realizadas durante as visitas à Unidade. Para análise, o material foi organizado em sequência e realizadas três modalidades de leitura e releitura: leitura horizontal,; leitura vertical e leitura transversal. Foram construídas quatro categorias de análise: vivências intersubjetivas no interior da unidade; privação da liberdade; tempo e subjetivação e criminalização da pobreza. Os adolescentes percebem a Unidade como um lugar de continuidade das dificuldades (violações de direitos) por eles enfrentadas. A relação dos atores institucionais (equipe dirigente) com os internos é demarcada pela incongruência: profissionais que estão implicados no processo de ressocialização, não acreditam no potencial dos adolescentes serem efetivamente ressocializados. A perda quase total de autonomia e a restrição do acesso a fatores sociais importantes na construção da identidade engendram uma série de ataques à autoimagem dos internos e tem como consequência a mortificação do eu civil. O que contraria o objetivo principal da socioeducação de responsabilização e emancipação dos adolescentes infratores enquanto cidadãos. Assim, caracteriza-se a narrativa como instrumento através do qual, não só o adolescente, mas todo aquele que está envolvido no processo socioeducativo, pode se reconhecer e se transformar, encontrando suporte para sustentação do senso de si e dando novos significados às suas vivências, sendo possível, também, tomar uma nova posição diante delas.
Keywords: Socioeducação
Institucionalização
Adolescência
Self
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Language: por
Parents: Brasil
Publisher: Universidade Católica de Brasília
Institution Abbreviation: UCB
Department: Escola de Saúde e Medicina
Program: Psicologia (Graduação)
Citation: ARRUDA, Caroline Rochelle Queiroz de. Efeitos subjetivos da institucionalização em adolescentes em medida socioeducativa de internação. 2018. 46 f. Monografia (Graduação em Psicologia) – Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2018.
Access Type: Acesso Restrito
URI: https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/123456789/13381
Document date: 2018
Appears in Collections:Psicologia (Graduação)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CarolineRochelleQueirozdeArrudaTCCGraduacaoParcial2018.pdfMonografia (Parcial)361.17 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.