Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/123456789/13464
Type: Monografia(Graduação)
Title: Maternidade real x idealizada e a relação com a depressão no pós-parto
Other Titles: Maternidade real versus idealizada e a relação com a depressão no pós-parto
Author(s): França, Mariana Rodrigues
First Advisor: Quadrelli, Isabela Parente
Summary: Ser mulher tem sido direcionado fortemente ao papel materno, tomando como prioridade e naturalidade da mulher. A despeito das conquistas da mulher em diferentes contextos, sejam públicos ou privados, o papel materno ainda é intensamente associado à experiência feminina. Somado a isso, tem-se a pressão social para que consigam, instintiva e solitariamente, dar conta das demandas da maternidade. Nesse sentido, é comum o adoecimento materno diante de tantas exigências e abnegações. A depressão pós-parto, desse modo, tem se tornado fenômeno cada vez mais recorrente na realidade das mulheres mães. O objetivo desse trabalho foi, então, analisar a idealização da maternidade e a relação com a depressão no pós-parto. Realizou-se a análise de discurso aos relatos de mulheres mães postados em redes sociais de compartilhamentos públicos de experiências maternas. A coleta de dados baseou-se em oito blogs/sites da área da maternidade na contemporaneidade articulando e discutindo-os à luz da psicologia, psiquiatria e enfermagem. Ao todo, foram selecionados vinte relatos que se relacionavam com a pesquisa. Os resultados evidenciaram temáticas que se reuniram em três categorias. Maternidade fantasiada: reflete a projeção de uma vida materna distante da realidade prática, romantizada pelos discursos sociais e, até mesmo, por outras mulheres. Pressão por serem boas mãe e materna solitárias: essa categoria reúne duas fontes de sofrimento e uma ambivalência na exigência social. As mulheres desta pesquisa referiram grande pressão pela qualidade e perfeição em suas habilidades de mãe. Assimilando a realidade: a reflexão de si mesmas e a ressignificação do papel maternal, buscando compreender seus limites e encaminhando para adquirirem a resiliência no puerpério como forma de lidar de modo produtivo com o fenômeno. Considerando as altas exigências evidenciadas, as concessões feitas em benefício dos filhos e a falta de apoio, aliados aos aspectos hormonais naturais do puerpério, a depressão pós-parto torna-se uma consequência compreensível.
Abstract: Being a woman has been strongly directed to the maternal role, taking as priority and naturalness of the woman. Despite women's achievements in different contexts, whether public or private, the maternal role is still closely associated with the female experience. Added to this, there is the social pressure to instinctively and lonely manage the demands of motherhood. In this sense, maternal illness is common in the face of so many demands and self-denials. Postpartum depression, thus, has become an increasingly recurring phenomenon in the reality of women mothers. The objective of this study was to analyze the idealization of motherhood and the relationship with postpartum depression. Content analysis of the reports of women mothers posted on social networks of public sharing of maternal experiences was performed. Data collection was based on eight blogs / websites in the area of maternity in the contemporary articulating and discussing them in the light of psychology, psychiatry and nursing. In all, twenty reports related to the research were selected. The results evidenced themes that met in three categories. Costumed motherhood: reflects the projection of a maternal life away from practical reality, romanticized by social discourses and even by other women. Pressure to be a good lonely mother: This category brings together two sources of suffering and an ambivalence in social demand. The women in this research reported great pressure for quality and perfection in their mothering skills. Assimilating reality: the reflection of themselves and the resignification of the maternal role, seeking to understand its limits and forwarding to acquire resilience in the postpartum as a way to deal productively with the phenomenon. Considering the high demands made, the concessions made for the benefit of the children and the lack of support, coupled with the natural hormonal aspects of the postpartum period, postpartum depression becomes an understandable consequence.
Keywords: Depressão pós-parto
Maternidade
Idealização
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Language: por
Parents: Brasil
Publisher: Universidade Católica de Brasília
Institution Abbreviation: UCB
Department: Escola de Saúde e Medicina
Program: Psicologia (Graduação)
Citation: FRANÇA, Mariana Rodrigues. Maternidade real x idealizada e a relação com a depressão no pós-parto. 2019. 48 f. Monografia (Graduação em Psicologia) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2019.
Access Type: Acesso Restrito
URI: https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/123456789/13464
Document date: 2019
Appears in Collections:Psicologia (Graduação)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MarianaRodriguesFrancaTCCGraduacaoParcial2019.pdfMonografia (Parcial)136.43 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.