Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/123456789/8594
metadata.dc.type: Monografia(Graduação)
Title: "Ser tratada como lixo. É normal?": a experiência de mulheres vítimas de violência obstétrica
metadata.dc.creator: Silva, Angélica Brandão
metadata.dc.contributor.advisor1: Quadrelli, Isabela Parente
metadata.dc.description.resumo: Esta pesquisa tem por objetivo analisar a experiência de mulheres vítimas de violência obstétrica a partir do vídeo documentário “Violência obstétrica: a voz das brasileiras”. Para tal, os depoimentos foram analisados por meio da análise de conteúdo de Bardin e problematização sob a ótica da epistemologia feminista. Embora os documentos de referência na assistência à saúde indiquem a realização de procedimentos condizentes com as necessidades de cada parto e cada mulher de modo a garantir uma vivência digna e de respeito, os resultados apontam discrepância entre o previsto e a prática. Constatou-se que, a atenção obstétrica desconsidera o conhecimento das mulheres, a significação e a complexidade envolvida na vivência do parto, sendo marcada por violações de direitos humanos, sexuais e reprodutivos, que podem incorrer em morbidade e mortalidade materna e/ou neonatal. A ocorrência deste tipo de violência é perpassada por múltiplos fatores, como: objetificação das mulheres, precarização da infraestrutura das instituições de saúde e formação dos(as) profissionais centrada na intervenção. Ressalta-se a importância de futuras investigações, principalmente no campo da Psicologia onde o tema é emergente. Acrescenta-se a necessidade de uma (re)avaliação constante e crítica sobre a assistência em saúde, associada à postura destituída de julgamentos morais e de valor, que acolha, cuide e respeite as mulheres. Não obstante, atuação das(os) Psicólogas(os) para além do hospital-maternidade, incluindo o fortalecimento das mulheres para o protagonismo e busca de seus direitos, e a participação na (re)formulação das políticas públicas, dos currículos acadêmicos e da formação continuada dos(as) profissionais de saúde.
Abstract: This research aims to analyze the experience of women suffering from obstetric violence from the documentary video “Violência obstétrica: a voz das brasileiras”. To this end, interviews were analyzed through Bardin content analysis and questioning from the perspective of feminist epistemology. While the standard reference documents in health care indicates the performance of procedures consistent with the needs of each childbirth and each woman to ensure a decent and respect living, the results point discrepancy between the predicted and practice. It was found that the obstetric care disregards women's knowledge, the significance and complexity involved in the birth experience, being marked by human rights violations, sexual and reproductive, that may incur neonatal and maternal morbidity and mortality. The occurrence of such violence is permeated by multiple factors, including objectification of women, precarious infrastructure of health facilities and training professionals focused on intervention. It emphasizes the importance of future research, especially in the field of psychology where the theme is emerging. It adds to the need for a constant revaluation and critique of health care associated with posture devoid of moral judgments and value, that host, care and respect women. Nevertheless, the performance of Psychologists in addition to the maternity hospital, the empowerment of women to pursue their rights and active participation in your life, and participation in the reformulation of public policies, academic curriculum and continuing education of the health professionals.
Keywords: Psicologia da saúde
Psicologia obstétrica
Intervenções médicas
Humanização
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Católica de Brasília
metadata.dc.publisher.initials: UCB
metadata.dc.publisher.department: Escola de Saúde e Medicina
metadata.dc.publisher.program: Psicologia (Graduação)
Citation: SILVA, Angélica Brandão. "Ser tratada como lixo. É normal?": a experiência de mulheres vítimas de violência obstétrica. 2015. 44 f. Monografia (Graduação em Psicologia) – Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2015.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/123456789/8594
Issue Date: 24-Nov-2015
Appears in Collections:Psicologia (Graduação)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AngélicaBrandãoSilvaTCCGraduacao2015.pdfMonografia661.42 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.